Secretário de Obras foi detido em flagrante durante operação do Gaeco

Munições foram encontradas na casa do secretário.

| MIDIAMAX


Gaeco cumpriu mandados em Bandeirantes (Foto: Divulgação)

Na tarde de terça-feira (2), foi registrada pela Polícia Civil a prisão em flagrante do secretário de Obras de Bandeirantes, cidade a 68 quilômetros de Campo Grande, durante a Operação Sucata Preciosa. Ele foi detido com munições ilegais em casa e responderá criminalmente.

Conforme o registro, durante o cumprimento do mandado de busca e apreensão do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), foram encontrados 3 estojos de munição calibre 38, intactas. A arma não teria sido localizada, mas o secretário acabou preso em flagrante.

Marcos Antônio Rodrigues foi encaminhado para a delegacia do município, onde foi elaborado o boletim de ocorrência pelo flagrante de posse irregular de arma de fogo.

Instaurada pela promotoria de Justiça de Bandeirantes, a investigação aponta celebração de contratos com empresas privadas que emitiriam notas de conserto de veículos da frota municipal sem nunca prestar os serviços. Conforme o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), parte da frota municipal está sucateada ou abandonada em pátios das secretarias de Obras e de Saúde. Mesmo assim, é apurado se a gestão chegou a pagar por supostos consertos.

O trabalho foi deflagrado pelo Gaeco, com o apoio do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros) e do Bope (Batalhão de Choque e do Batalhão de Operações Especiais). Além da sede da prefeitura de Bandeirantes e dos prédios das secretarias de Obras, Saúde e Educação, os mandados foram cumpridos nas residências do prefeito Álvaro Urt (DEM), de servidores e ex-servidores do município de Bandeirantes e de representantes das empresas envolvidas.

Na prefeitura, policiais acompanharam o trabalho da equipe chamando atenção dos moradores. Um veículo do Gaeco também parou em frente à casa da secretária de Saúde, Rosa Bortoline Rodrigues e do secretário de Obras, Marcos Antônio, que são casados. As investigações incluem os crimes de peculato, fraude em licitação, falsidade e corrupção.


Curta a página JORNAL RADAR MS e seja o primeiro a saber de todas as notícias do Mato Grosso do Sul.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE