Jamilson Name diz que é cedo para descartar concorrer em 2020

Deputado consulta o TRE-MS para deixar o PDT.

| MIDIAMAX/EVELIN CáCERES


(Thauanny Maíra, Midiamax)

Entrevistado desta segunda-feira (09), o deputado estadual Jamilson Name (PDT) criticou e também elogiou a gestão do prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), além de não descartar concorrer às eleições de 2020. O parlamentar disse também que pode ter faltado jogo político para que Odilon Oliveira se elegesse em 2018 ao governo.

“Desculpa a sinceridade, mas Campo Grande parou nos últimos anos e a gente entende que é difícil para o Marquinhos Trad colocar a cidade em funcionamento de novo. Ele vem acertando em algumas coisas, errando em outras', opinou.

O parlamentar citou a presença do prefeito nos bairros, mas disse acreditar que falta avançar na discussão para que a cidade ‘entre nos trilhos. “A gente tinha uma cidade sempre limpa, arborizada, onde tudo funcionava'.

Sobre disputar em 2020, Name não descartou. “Para disputar, primeiro preciso resolver a minha questão para sair do PDT e encontrar um partido, porque nele não teremos espaço para essa candidatura. Mas não posso falar que dessa água não beberei'.

O deputado ressaltou seu trabalho na Assembleia Legislativa, como pedidos de reparos em pontes e vias e projetos de lei, como a divulgação da isenção do IPVA para pessoas com câncer.

Ainda em consulta ao TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) sobre a possibilidade de deixar a sigla, Name diz ter recebido convites de vários partidos. “O PSDB, MDB, PSD, PP, Patriota. Mas primeiro vamos avaliar a saída do PDT e ver como será feita essa transição'.

Apoiador de Odilon Oliveira em 2018, que acabou em segundo lugar na disputa pelo governo do Estado, Jamilson diz que pode ter faltado jogo político ao candidato. “Odilon é um ser humano maravilhoso, honesto, digno e sensato, mas o jogo político vai além disso. Se ele conseguir melhorar a performance política, tem condições de desempenhar um grande papel'.

Sobre o PDT, o deputado diz ter feitos grandes amigos e que só teve desentendimento com a direção regional. “Não cabe a mim julgar, mas o PDT precisa mudar. É um partido que ficou envelhecido e ultrapassado, precisa de pessoas novas, que olhem a diante'.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE