MS já entrou na segunda onda de covid-19?

Para se ter uma ideia, anteontem, 80,41% de todas as vagas de UTI na Capital.

| ANAHI ZURUTUZA / CAMPO GRANDE NEWS


Hospital de Campanha foi montado nos primeiros meses de pandemia. (Foto: Divulgação Cassems)

Apesar da aparente calmaria, a ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) por pacientes com covid-19 aumentou em Campo Grande. Para se ter uma ideia, anteontem, 80,41% de todas as vagas intensivas da macrorregião estão ocupadas, conforme dados da plataforma Mais Saúde, da SES (Secretaria de Estado de Saúde).

Os números indicam 490 vagas de UTI na macrorregião, sendo que 394 estão ocupadas, tanto por pacientes com covid-19 quanto com as demais doenças. Já entre os leitos exclusivos para o novo coronavírus, são 186, com 94 ocupados, o que resulta em taxa de 50,54%.

Segundo a diretora do HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul), Rosana Leite de Melo, na semana passada ocorreu um “boom' de internações em UTI nos hospitais privados e desde o início desta semana, o Regional já sentiu aumento. Das 50 vagas intensivas para covid, todas estão ocupadas, com mais 5 pacientes aguardando transferência para outras unidades de saúde, totalizando 55 pessoas em estado grave.

Depois do HRMS e do Hospital da Unimed enviarem comunicados à imprensa, foi a vez do Hospital Cassems fazer alerta. A unidade hospitalar relatou aumento de 83% no fluxo de pacientes com sintomas do novo coronavírus nos primeiros 15 dias de novembro em relação ao mesmo período do mês passado. O hospital suspendeu as visitas aos internados.

Você acha que Mato Grosso do Sul já está enfrentando a segunda onde da covid-19?


Curta a página JORNAL RADAR MS e seja o primeiro a saber de todas as notícias do Mato Grosso do Sul.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE