Empresário viciado em pornografia infantil é libertado

Empresário de 37 anos foi preso em casa, no bairro Vilas Boas, em outubro e confessou vício iniciado na adolescência.

| SILVIA FRIAS / CAMPO GRANDE NEWS


Polícia Civil deflagrou operação em outubro deste ano (Foto/Arquivo)

A Justiça de Campo Grande concedeu liberdade provisória a empresário de 37 anos, investigado por armazenar material pornográfico infantil e preso na Operação Deep Caught, deflagrada em outubro deste ano.

A decisão é da 2ª Vara Criminal de Campo Grande, publicada nesta sexta-feira (27) no Diário da Justiça. O empresário não pode se ausentar da cidade, somente com autorização judicial.

O empresário foi preso no dia 29 de outubro, na 3ª fase da Operação Deep Caught, deflagrada pela Polícia Civil contra abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes praticados na internet.

Preso no Vilas Boas, o empresário contou que, quando tinha 10 anos, foi violentado por dois adolescentes, sobrinhos da madrasta. Aos 17 anos, começou a acessar o conteúdo pornográfico após um amigo ensinar a fazer a busca.

O empresário assumiu que é viciado em sexo e assistia o conteúdo durante a madrugada, quando a esposa e os dois filhos, de 9 e 14 anos, estavam dormindo. A mulher sabia que ele acessava material pornográfico na internet, mas não sabia que era infantil.

As imagens foram encontradas no notebook do empresário, que estava no quarto do filho de 9 anos. Ele assumiu que durante um tempo parou de baixar o conteúdo, mas que tinha voltado em outubro.


Curta a página JORNAL RADAR MS e seja o primeiro a saber de todas as notícias do Mato Grosso do Sul.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE