Com hospitais lotados, Paraguai avalia retomar medidas de isolamento

Ministério da Saúde do país vizinho se reúne hoje à tarde para ajustar protocolos.

| HELIO DE FREITAS, DE DOURADOS / CAMPO GRANDE NEWS


Paciente com coronavírus é atendido em UTI de hospital no Paraguai (Foto: ABC Color)

O Ministério da Saúde do Paraguai se reúne na tarde desta quinta-feira (3) para discutir ajustes nos protocolos de biossegurança adotados em função da pandemia do novo coronavírus. É grande a chance de mais rigor nas medidas de isolamento para conter a nova onda da covid-19.

Citado como exemplo positivo na América do Sul no controle do vírus devido às medidas duras que adotou no início da pandemia, o Paraguai tem menos casos e quase o mesmo número de mortes do que Mato Grosso do Sul mesmo com o dobro da população e sistema de saúde precário.

Em 268 dias de pandemia – declarada pela OMS (Organização Mundial de Saúde) no dia 11 de março – o Paraguai já registrou 84.482 casos positivos de covid e 1.783 mortes.

Entretanto, assim como ocorre em boa parte dos estados brasileiros, o vírus voltou a se espalhar com mais força nas últimas semanas e os hospitais paraguaios estão lotados.

O vice-ministro da Saúde Julio Borba disse que o ajuste nos protocolos é inevitável devido ao aumento dos casos positivos e de internações nas últimas semanas. “Os hospitais estão lotados e os pacientes não param de chegar', afirmou em entrevista à imprensa paraguaia.

Julio Borba evitou falar em retroceder nas medidas de isolamento e disse que a necessidade é ajustar os protocolos diante da situação atual.

Ele cobrou mais engajamento da população e apelou para as pessoas não deixarem de usar a máscara e manter as medidas de distanciamento. “Em certos lugares percebemos relaxamento completo e são exatamente esses locais os maiores focos de contágio'.


Curta a página JORNAL RADAR MS e seja o primeiro a saber de todas as notícias do Mato Grosso do Sul.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE