Seis dos oito mortos em confronto com a polícia na fronteira eram brasileiros

Os dois estrangeiros mortos já foram identificados e ambos são paraguaios.

| JD1 NOTíCIAS/BRENDA ASSIS, COM INFORMAçõES ABC COLOR


Veiculo que estava na casa dos criminosos   (Divulgação)

Dos oito supostos integrantes de facção criminosa mortos em confronto com a polícia na noite de ontem (11), em Ponta Porã, dois seriam de nacionalidade paraguaia e seis brasileiros.  

De acordo com o ABC Color, os dois estrangeiros já foram identificados. Trata-se de Edson Prieto Dávalos, 28 anos, e Óscar Rubén Cardozo Delvalle, 37 anos. 

Eles estavam em uma casa que servia de ‘base’ da facção na companhia dos outros integrantes, quando policiais civis da Delegacia Especializada Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros (Garras) chegaram. 

Houve confronto e seis dos integrantes do grupo morreram no local. Outros dois tentaram fugir e acabaram se envolvendo em troca de tiros com militares do Departamento de Operações de Fronteira (DOF) que davam apoio a ação. 

Na casa onde estavam os criminosos foram encontrados ainda fuzis e pistolas, além de veículos roubados. 

Resgate

A ação que resultou na morte dos oito integrantes da facção teve início logo após a tentativa de resgate do narcotraficante Giovani Barboza da Silva, o ‘Bonitão’, um dos principais líderes do Primeiro Comando da Capital (PCC). 

Ele estava na casa de uma namorada em Pedro Juan Caballero, quando foi capturado pela polícia paraguaia. 

Após ser encaminhado à prisão, membros do crime organizado invadiram o local e tentaram tira-lo da cadeia. Logo depois, ‘Bonitão’ foi expulso do Paraguai. 


Curta a página JORNAL RADAR MS e seja o primeiro a saber de todas as notícias do Mato Grosso do Sul.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE