Estado lança projeto para levar luz ao Pantanal

Programa foi intitulado de ‘Ilumina Pantanal’ e deve alcançar 2.167 unidades consumidoras.

| JD1 NOTíCIAS/GABRIELLY GONZALEZ


Placas fotovoltaicas na região Pantaneira   (Reprodução)

Nesta terça-feira (2), o Governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja apresentou o projeto ‘Ilumina Pantanal’, que tem como intuito levar energia elétrica [solar fotovoltaica] para a região do Pantanal.

Projeto é uma realização conjunta do Governo do Estado, com o setor privado, por meio do Grupo Energisa, o Ministério de Minas e Energia, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e o Concen - Conselho de Consumidores da Energisa.

O programa levará energia elétrica a 2.167 unidades consumidoras - sendo 1,3 mil de julho a dezembro de 2021. E o restante em 2022.

Além disso, Azambuja afirmou que não haverá custo nenhum de instalação aos moradores. “Terá apenas uma tarifa social mensalmente, de aproximadamente R$ 30. O nosso maior ganho é propiciar energia elétrica numa região tão necessitada deste insumo básico”, declarou o governador.

De acordo com o Secretário de Meio Ambiente, Jaime Verruck, foram cerca de três anos de levantamento de toda a necessidade de energia elétrica para abastecer o Pantanal, observando-se os períodos alternados de chuva e seca e a necessidade de se chegar em áreas de difícil acesso. “Depois de muito estudo foi definido que o modelo mais adequado seria a geração de energia solar fotovoltaica”, confirmou

“É projeto inovador, sustentável e audacioso que deve posicionar MS como o Estado com o maior número de placas solares instaladas em um mesmo Bioma no Brasil. Estamos trazendo o desenvolvimento sustentável de nosso Estado para um novo patamar e promovendo um salto de dignidade e qualidade de vida ao povo pantaneiro e futuras gerações”, finalizou Verruck.

 


Curta a página JORNAL RADAR MS e seja o primeiro a saber de todas as notícias do Mato Grosso do Sul.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE