Técnico de informática preso em operação contra pedofilia é condenado

MPF havia pedido indenização por dano moral e coletivo de R$ 50 mil.

| MIDIAMAX


(Marcos Ermínio, Midiamax)

O técnico de informática que foi preso durante a Operação Luz da Infância, em setembro de 2019 contra a pedofilia foi condenado pela Justiça a prisão de 4 anhos, 10 meses e 113 dias pelos crimes de armazenar, distribuir, divulgar vídeos, fotos pornográficas com crianças ou adolescentes.

Ele foi preso na sua casa no Jardim Tijuca na época, sendo que quando os policiais chegaram ao local encontraram mais de 100 mil vídeos pornográficos sendo que cerca de 54 mil estavam sendo compartilhados. Na época, ele disse na delegacia que não sabia que o programa que usava para ver os vídeos fazia o download imediato do material.

O técnico de informática anda afirmou que não tinha a intenção de distribuir os vídeos. Ele ficou preso sendo solto depois de um mês. O MPF (Ministério Público Federal) chegou a pedir uma indenização por dano moral e coletivo no valor de R$ 50 mil. Ele vai poder recorrer da decisão sobre sua condenação em liberdade, não sendo decretada sua prisão de imediato.

A operação cumpriu mandados no Amazonas, Amapá, Alagoas, Ceará, Distrito Federal, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraná, Piauí, Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Norte juntamente com a Polícia Federal.

Em 2017 durante a primeira fase da operação deflagrada na Capital, um advogado de 64 anos e um vendedor de carros de 27 anos foram presos. Três mandados foram cumpridos na Capital, mas apenas duas prisões foram feitas.

Em maio de 2018, nove mandados foram cumpridos.  A segunda fase da Operação Luz da Infância contou com a participação de 2,6 mil policiais civis. As cidades alvos foram a Capital, Naviraí, Glória de Dourados e Dourados.

Em novembro de 2018, mais seis mandados de busca e apreensão em Mato Grosso do Sul, sendo três mandados em Campo Grande e outros nas cidades de Iguatemi e Jardim.


Curta a página JORNAL RADAR MS e seja o primeiro a saber de todas as notícias do Mato Grosso do Sul.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE